Anúncio
Anúncio

Ações europeias caem sob pressão de tecnologia e saúde em meio a aumento de casos da Ômicron

Por :
Reuters
Atualizado: Dec 29, 2021, 19:35 GMT+00:00

Por Anisha Sircar e Shashank Nayar (Reuters) - As ações europeias recuaram nesta quarta-feira, uma vez que as infecções recordes de coronavírus deixaram investidores cautelosos e quedas em papéis de tecnologia, saúde e viagens lideraram as vendas nas negociações de baixo volume do fim de ano. O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em queda de 0,11%, a 487,98 pontos, com as ações de saúde Novo Nordisk, Novartis e Roche entre as principais perdas, enquanto o sub-índice de tecnologia foi o que mais cedeu , 1,1%. As infecções globais por Covid-19 atingiram um recorde nos últimos sete dias, mostraram dados da Reuters nesta quarta-feira, conforme a nova variante Ômicron saiu de controle, o que manteve trabalhadores em casa e sobrecarregou centros de testagem.

Bolsa de Frankfurt, Alemanha

Por Anisha Sircar e Shashank Nayar

(Reuters) – As ações europeias recuaram nesta quarta-feira, uma vez que as infecções recordes de coronavírus deixaram investidores cautelosos e quedas em papéis de tecnologia, saúde e viagens lideraram as vendas nas negociações de baixo volume do fim de ano. O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em queda de 0,11%, a 487,98 pontos, com as ações de saúde Novo Nordisk, Novartis e Roche entre as principais perdas, enquanto o sub-índice de tecnologia foi o que mais cedeu , 1,1%. As infecções globais por Covid-19 atingiram um recorde nos últimos sete dias, mostraram dados da Reuters nesta quarta-feira, conforme a nova variante Ômicron saiu de controle, o que manteve trabalhadores em casa e sobrecarregou centros de testagem.

“Com a atividade do mercado reduzida para a temporada de fim de ano, investidores continuam a precificar provisoriamente uma recuperação global atingindo um pequeno solavanco, e não um buraco”, disse Jeffrey Halley, analista de mercado sênior da OANDA. No entanto, analistas têm opiniões divergentes em relação a 2022 conforme persistem os temores de inflação, os riscos do coronavírus e uma crise energética. Muitos acreditam que a inflação elevada pressionará bancos centrais a abandonar a política de acomodação mais cedo do que o esperado.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,66%, a 7.420,69 pontos, com os preços mais altos do petróleo e as poucas perspectivas de bloqueios no país até o final do ano.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,70%, a 15.852,25 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,27%, a 7.161,52 pontos. Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,37%, a 27.344,25 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,17%, a 8.673,70 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,25%, a 5.574,50 pontos.

Sobre o Autor

Reuterscontributor

A Reuters, o departamento de notícias e media da Thomson Reuters, é o maior fornecedor de notícias multimédia internacional do mundo, chegando a mais de mil milhões de pessoas todos os dias. A Reuters fornece notícias sobre negócios, financeiras, nacionais e internacionais de confiança a profissionais através dos computadores da Thomson Reuters, das organizações de meios de comunicação social mundiais, e diretamente aos consumidores na Reuters.com e através da Reuters TV.

Você achou esse artigo útil?

Anúncio