FXEMPIRE
Tudo
Ad
Anúncio
Anúncio
Reuters
Adicionar aos favoritos
Homens trabalham em linha de montagem de caminhões da Mercedes
Homens trabalham em linha de montagem de caminhões da Mercedes

(Corrige no primeiro parágrafo para maio, em vez junho)

Por Camila Moreira e Rodrigo Viga Gaier

Anúncio
Sabe para onde se dirige o instrumento o mercado? Tome vantagem com 

CFDs are complex instruments and come with a high risk of losing money rapidly due to leverage. The vast majority of retail investor accounts lose money when trading CFDs. You should consider whether you understand how CFDs work and whether you can afford to take the high risk of losing your money.

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) – A produção da indústria brasileira voltou a subir na metade do segundo trimestre após três meses de queda, retomando o nível pré-pandemia apesar de o ganho em maio ter ficado abaixo do esperado conforme o setor ainda busca se recuperar das cicatrizes deixadas pela Covid-19.

Em maio, a indústria apresentou avanço de 1,4% em relação a abril, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta sexta-feira.

O resultado positivo não repõe as perdas acumuladas de 4,7% na produção nos três meses anteriores, e ainda ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de ganho de 1,7%.[BRIO=ECI]

Com o resultado de maio, a indústria chega ao mesmo patamar de fevereiro de 2020, pré-pandemia, mas ainda está 16,7% abaixo do nível recorde visto em maio de 2011.

“(Para o resultado de maio houve efeito de) flexibilização de medidas de isolamento e começou o pagamento do auxílio emergencial. Essa combinação de fatores explica o comportamento diferente. A grande questão é se isso vai continuar ou não”, explicou o gerente da pesquisa, André Macedo.

Na comparação com o mesmo mês do de 2020, a produção teve alta de 24,0%, nona taxa positiva consecutiva e a segunda mais elevada da série histórica, mas também abaixo da expectativa de avanço de 25,0%. O resultado se dá principalmente por conta da base baixa de comparação, depois da paralisação da indústria por conta das medidas de isolamento social em abril e maio do ano passado.

A indústria sofreu no começo deste ano com o recrudescimento da pandemia, do isolamento e das restrições para combate ao coronavírus, no momento em que buscava engatar uma recuperação. O cenário ainda contempla desemprego e inflação elevados.

“É preciso ter cautela, seja pela base fraca, seja pela conjuntura com muitos desempregados, renda menor e inflação mais alta e outros fatores”, destacou Macedo. “A indústria começou 2021 com menor intensidade, e tem relação com o recrudescimento da pandemia, que afeta tanto a produção quanto a demanda.”

No mês de maio, 15 das 26 atividades na pesquisa apresentaram ganhos, com destaque para produtos alimentícios (2,9%), coque, derivados do petróleo e biocombustíveis (3,0%) e indústrias extrativas (2,0%).

“Esse número maior de atividades com crescimento está relacionado ao fato de termos, nos meses anteriores, um perfil bastante disseminado de atividades em queda. Isso faz com que haja uma volta natural ao campo de crescimento em função das quedas mais acentuadas nesses meses”, alertou Macedo.

Entre as grandes categorias econômicas, os resultados positivos ficaram com bens de capital (1,3%) e bens de consumo (1,5%), enquanto a produção de bens intermediários teve contração (-0,6%).

Anúncio
Não perca nada!
Descubra o que está a mover os mercados. Registe-se para obter uma atualização diária remetida para a sua caixa de entrada

Negoceie com uma corretora regulada

ISENÇÕES DE RESPONSABILIDADE IMPORTANTES
O conteúdo fornecido no site inclui notícias e publicações gerais, nossas análises e opiniões pessoais e conteúdos fornecidos por terceiros, que se destinam apenas a fins educacionais e de pesquisa. Não constitui, e não deve ser lido como, qualquer recomendação ou conselho para tomar qualquer ação, incluindo fazer qualquer investimento ou comprar qualquer produto. Ao tomar qualquer decisão financeira, você deve realizar suas próprias verificações de due diligence, aplicar seu próprio critério e consultar seus consultores competentes. O conteúdo do site não é dirigido pessoalmente a você e não levamos em consideração sua situação ou necessidades financeiras. As informações contidas neste site não são necessariamente fornecidas em tempo real nem são necessariamente precisas. Os preços aqui fornecidos podem ser fornecidos por criadores de mercado e não por bolsas. Qualquer negociação ou outra decisão financeira que você fizer será de sua total responsabilidade, e você não deve confiar em nenhuma informação fornecida por meio do site. FX Empire não fornece qualquer garantia em relação a qualquer informação contida no site, e não será responsável por quaisquer perdas comerciais que você possa incorrer como resultado do uso de qualquer informação contida no site. O site pode incluir anúncios e outros conteúdos promocionais , e FX Empire pode receber compensação de terceiros em conexão com o conteúdo. FX Empire não endossa terceiros ou recomenda o uso de serviços de terceiros, e não assume responsabilidade pelo uso de qualquer site ou serviços de terceiros. FX Empire e seus funcionários, executivos, subsidiárias e associados não são responsáveis nem devem eles serão responsabilizados por qualquer perda ou dano resultante do uso do site ou da confiança nas informações fornecidas neste site.
ISENÇÃO DE RISCO
Este site inclui informações sobre criptomoedas, contratos por diferença (CFDs) e outros instrumentos financeiros, e sobre corretores, bolsas e outras entidades que negociam esses instrumentos. Tanto as criptomoedas quanto os CFDs são instrumentos complexos e apresentam um alto risco de perda de dinheiro. Você deve considerar cuidadosamente se você entende como esses instrumentos funcionam e se você pode assumir o alto risco de perder seu dinheiro. A FX Empire o incentiva a realizar sua própria pesquisa antes de tomar qualquer decisão de investimento e evitar investir em qualquer instrumento financeiro que você não entende totalmente como funciona e quais são os riscos envolvidos.