Anúncio
Anúncio

OMS e conselheiros pedem que a China libere todos os dados relacionados ao Covid após nova pesquisa

Por :
Reuters
Publicado: Mar 18, 2023, 19:06 UTC

(Reuters) - Assessores da Organização Mundial da Saúde pediram neste sábado à China que libere todas as informações relacionadas à origem da pandemia de Covid-19 depois que novas descobertas foram brevemente compartilhadas em um banco de dados internacional usado para rastrear patógenos.

OMS e conselheiros pedem que a China libere todos os dados relacionados ao Covid após nova pesquisa

(Reuters) – Assessores da Organização Mundial da Saúde pediram neste sábado à China que libere todas as informações relacionadas à origem da pandemia de Covid-19 depois que novas descobertas foram brevemente compartilhadas em um banco de dados internacional usado para rastrear patógenos.

Novas sequências do vírus SARS-CoV-2, bem como dados genômicos adicionais baseados em amostras coletadas de um mercado de animais vivos em Wuhan, China, em 2020, foram brevemente carregados no banco de dados GISAID por cientistas chineses no início deste ano, permitindo que fossem visualizados por pesquisadores de outros países, de acordo com a declaração do Grupo Consultivo Científico para as Origens de Novos Patógenos (SAGO) da OMS.

As sequências sugeriram que cachorros-guaxinim estavam presentes no mercado e também podem ter sido infectados pelo coronavírus, fornecendo uma nova pista na cadeia de transmissão que acabou atingindo os humanos.

O acesso às informações foi posteriormente restrito “aparentemente para permitir mais atualizações de dados” pelo Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Funcionários da OMS discutiram o assunto com colegas chineses, que explicaram que os novos dados deveriam ser usados para atualizar um estudo de pré-impressão de 2022. O CDC da China planeja reenviar o artigo à revista científica Nature para publicação, de acordo com o comunicado.

Funcionários da OMS dizem que essas informações, embora não conclusivas, representam uma nova pista na investigação das origens do COVID e deveriam ter sido compartilhadas imediatamente.

“Esses dados não fornecem uma resposta definitiva para a questão de como a pandemia começou, mas todos os dados são importantes para nos aproximar dessa resposta”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, na sexta-feira.

“Esses dados poderiam – e deveriam – ter sido compartilhados há três anos”.

(Reportagem de Sneha Bhowmik em Bengaluru e Jennifer Rigby em Londres; Redação de Michele Gershberg; Edição de Nick Zieminski)

Sobre o Autor

Reuterscontributor

A Reuters, o departamento de notícias e media da Thomson Reuters, é o maior fornecedor de notícias multimédia internacional do mundo, chegando a mais de mil milhões de pessoas todos os dias. A Reuters fornece notícias sobre negócios, financeiras, nacionais e internacionais de confiança a profissionais através dos computadores da Thomson Reuters, das organizações de meios de comunicação social mundiais, e diretamente aos consumidores na Reuters.com e através da Reuters TV.

Você achou esse artigo útil?

Anúncio